A Atividade Física e o Risco Cardiovascular

As doenças cardiovasculares são responsáveis por alto grau de morbidade e mortalidade na população mundial. Esse artigo discute a Atividade Física e o Risco Cardiovascular (sua modulação). Não deixe de ler.

Atividade Física e o Risco Cardiovascular (sua modulação)

Em populações saudáveis, a estimativa do risco cardiovascular tem sido calculada a partir de modelos de predição derivados de estudos prospectivos e observacionais. 1)Revista Brasileira de Medicina do Esporte

Atividade Física e o Risco Cardiovascular

Atividade Física e o Risco Cardiovascular

O Escore de Framingham

O escore de Framingham é um algoritmo tradicionalmente utilizado como estratégia primária de prevenção de doenças cardiovasculares em pessoas assintomáticas em um período de 10 anos. Para a determinação desse escore são considerados como fatores de risco os níveis séricos de colesterol total, colesterol HDL, pressão sistólica, diabetes mellitus, tabagismo e idade dos pacientes.

Leia Mais:

Privação de sono e exercício físico

+ Esportes que mais gastam calorias: conheça o MET, seu aliado na dieta

Xô preguiça! Caminhada é forte aliada na hora de combater o sedentarismo

Cada hora a mais de tempo de sedentarismo diário aumenta sua chance de diabetes.

Exercícios durante a gestação previnem a Hipertensão Gestacional.

Perder peso no começo da vida pode reduzir o risco de diabetes

Mais atividade física, menos ansiedade igual a menos exageros alimentares

Treinamento intenso pode afetar o sono e o humor

Objetivo do estudo:

Avaliar se a prática de atividade física é uma variável importante capaz de modular o risco obtido pelo escore de Framingham.

Métodos utilizados:

Foram considerados dados de 1004 indivíduos, divididos em adultos (18 a 59 anos) e idosos (> 60 anos), usando o software Statistical Package for Social Sciences (SPSS) para as análises estatísticas e adotando-se o nível de significância de 5% (P < 0,05) para todos os testes aplicados.

Resultados:

A correlação entre os fatores idade, sexo, tabagismo, hipertensão arterial e níveis séricos de HDL e o escore de Framingham foi confirmada tanto no grupo adulto como no idoso.

Principais Fatores de Risco para doenças cardiovasculares:

Adicionalmente, nossas análises demonstraram correlação estatisticamente significativa entre a prática de atividade física e o risco calculado por esse escore, ficando evidente que indivíduos adultos ou idosos que praticam atividade física moderada ou intensa apresentam menor risco de desenvolver doença cardiovascular num período de 10 anos.

Conclusão: Atividade Física e o Risco Cardiovascular

Nossos dados demonstram que a prática de atividade física moderada ou intensa pode modular o escore de Framingham e assim como idade, sexo, tabagismo, hipertensão arterial e níveis séricos de colesterol total e HDL, deve ser considerada entre os fatores de risco de doenças cardiovasculares.

References   [ + ]

Author: Dr. Leonardo Alves

Médico, Cardiologista que entende que a internet pode e deve ser uma fonte inesgotável de informações para os pacientes.
CRMMG: 33.669 – Trabalha na Clínica Cardiovasc, em Teófilo Otoni, MG

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This

Compartilhe!

Compartilhe esse artigo com amigos!