A relação entre as Alterações da Repolarização e Atividade Física são dúvidas frequente entre os pacientes e muitos deixam de exercitar por esse motivo. Mas é preciso parar o exercício? Confira!

Pergunte ao Cardiologista:

A dúvida de hoje veio do Carlos Roberto, nesse artigo.

Se no meu ECG a observação for Alterações difusas da repolarização ventricular, eu posso jogar futebol? (Carlos Roberto)

https://wp.me/p4u8ts-ez

Qual é a dúvida?

A dúvida do Carlos é bastante óbvia, mas ao mesmo tempo, não é fácil de ser respondida.

Alterações Difusas da Repolarização Ventricular

O nome que foi dado a esta alteração assusta o paciente que lê, pois parece que o ventrículo (“a parte mais importante do coração”) está difusamente doente (“todo doente”). Mas não é isso. Detalhadamente:

– Alterações: Significa, óbvio, que existe uma alteração no eletrocardiograma – essa é fácil.

– Difusas: Significa que essa alteração está presente em todo o eletrocardiograma, pois se não fosse assim, o termo seria: Alterações Localizadas da Repolarização ventricular. E algumas vezes, as alterações são localizadas, mesmo e o laudo do ECG diz: Alterações da repolarização ventricular em parede anterior – como explico abaixo;

– Repolarização Ventricular: é uma região do Eletrocardiograma que representa a fase em que o coração está se repolarizando (preparando-se para a nova contração). Mas fique tranquilo, mesmo que tenha uma alteração no Eletro, o seu coração pode estar totalmente normal.

Alterações da Repolarização Ventricular indica doença?

A resposta mais adequada é: nem sempre.

Apesar de haver várias situações e doenças que estão presente nos pacientes com Alterações difusas da repolarização ventricular, a maioria das vezes, não significa doença.

Alterações da Repolarização e Atividade Física

Em um estudo, cientistas avaliaram a presença das Alterações da repolarização e atividade física – confira.

Eles procuraram estudar as implicações funcionais, clínicas e prognósticas de anormalidades acentuadas de repolarização (ARV) às vezes observadas em eletrocardiogramas de atletas (ECGs).

Alterações da Repolarização e Atividade Física é perigoso?

O significado clínico do das Alterações da repolarização ventricular e atividade física é desconhecido.

Nenhuma relação foi estabelecida entre a intensidade do treinamento ou qualquer tipo particular de esporte e Alterações da repolarização ventricular. Os atletas geralmente não apresentam sintomas e não apresentam qualquer redução no desempenho físico. Ainda não está claro se o Alterações da repolarização ventricular  pode ter um efeito negativo no desempenho desses atletas em esportes competitivos.

Nesse estudo, os atletas foram acompanhados por um período de 4 a 20 anos (média de 6,7 anos) fazendo vários exames cardiológicos.

Alterações da Repolarização e Atividade Física: os exames!

Alterações da repolarização no ecocardiograma:

O ecocardiograma mostrou dimensões ventriculares normais direita e esquerda para atletas altamente condicionados.

Alterações da repolarização no Teste ergométrico:

No teste ergométrico, a frequência cardíaca foi de 166 ± 12,4 batimentos / min e a tolerância ao exercício foi de 15,2 ± 2,7 equivalentes metabólicos da tarefa.

Todos os atletas apresentavam ECG em repouso simulando isquemia miocárdica ou “pseudo-isquemia” com tendência a normalizar durante o exercício.

Alterações da repolarização na Cintilografia:

Estudos de cintilografia miocárdica foram normais nos atletas estudados. Nenhum evento clínico adverso foi observado no seguimento.

Alterações da Repolarização e Atividade Física: a conclusão!

Estes resultados sugerem que a Alterações da repolarização não tem implicações clínicas ou patológicas em atletas e, portanto, não deve impedir o treinamento físico ou a participação em eventos esportivos. 1)sciencedirect.com

Alguma dúvida?

Se ficou com alguma dúvida, deixe o seu comentário.

References   [ + ]

Share This

Compartilhe!

Compartilhe esse artigo com amigos!