Se você sofre de Arritmia Cardíaca, você não está sozinho… As Arritmias e seus sintomas (as palpitações) são queixas muito comuns no dia-a-dia do meu consultório de cardiologista. Quando causam palpitações, elas perturbam muitos pacientes e podem estar te deixando LOUCO. Por outro lado, muitas das arritmias são assintomáticas. O lado bom…

O lado bom é que grande parte das vezes a Arritmia não vai lhe causar morte súbita, entretanto, você e seu médico precisam estar atentos a alguns indícios que servem de alerta, pois a Arritmia Cardíaca e as Palpitações podem ser um aviso de doenças cardíacas graves, como você verá nesse artigo de revisão.

Se você deseja saber mais sobre a Arritmia cardíaca, você está no lugar certo. Nessa página, iremos reunir todas as informações sobre as mais diversas arritmias cardíacas e discutiremos suas principais causas e consequências. Não deixe de ler e, por favor, deixe sua dúvida ou pergunta nos comentários. Combinado?

 

Uma História Real! Carlos e sua Palpitação! 

Carlos é o nome fictício de um paciente real, que realizou uma consulta no meu consultório. Ele é jovem, de 32 anos e trabalha como Caixa em um Supermercado. Veja o que ele me contou e responda-me se você vê alguma semelhança com a vida real.

“Era um dia normal, uma terça-feira. Como de praxe, acordei, tomei meu banho e fui tomar meu café com pão e meu queijo. Assisti ao jornal e me preparei para ir para o trabalho…

 

Quando de repente: TUM-TÁ-TUM-TÁ!

 

O quê foi isso?! Eu estremeci, conta ele!

 

Meu coração bateu de uma forma como eu nunca tinha visto ou sentido antes!

 

De novo: TUM-TÁ-TUM-TÁ!

 

Alguma coisa estava acontecendo comigo e, pior, dentro do meu peito!

 

Quê TREM é esse?, disse ele expondo seu sotaque mineiro…

 

Será que estou infartando?!

Ele me disse que parecia que seu coração iria sair pela minha boca, e que ficou extremamente apavorado, e que nem terminou de tomar o seu café com queijo. Como médico e mineiro, eu logo percebi que seja lá o que tinha acontecido era grave, pois para um Mineiro deixar um Café e uma fatia de queijo para traz, não é bom sinal…

 

A sensação durou segundos, mas Carlos ficou abalado por cerca de 10 minutos… Ele não conseguia deixar de pensar no que aconteceu com ele.

Mas, Graças a Deus, aquele “TREM” não voltou!.

Do mesmo jeito que vieram, os sintomas foram embora…

Eu pergunto a você, leitor:  Você já sentiu na pele, os sintomas de Carlos?

Você pode estar se perguntando: “Mas afinal, o quê Carlos sentiu? O quê que ele teve?” Bem, vamos com calma, pois no final desse artigo, vamos tentar chegar a uma conclusão.

 

Carlos teve um Palpitação, mas o quê é Palpitação?

Tudo indica que o Carlos teve uma Palpitação!

A forma como ele descreve seus sintomas lembra a palpitação que é a manifestação clínica (o sintoma) de que o coração saiu do ritmo, é à percepção anormal dos batimentos do coração.

Assim, se o coração se acelerar, o paciente pode perceber esta aceleração e relatar a presença de palpitação… da mesma forma, se houver alteração do ritmo (sem taquicardia ou bradicardia), o paciente também pode relatar palpitação.

 

Várias Descrições para um Mesmo Sintoma:

Os pacientes referem a palpitação como:

  • Pausa,
  • Batimento,
  • Parada no coração,
  • Coração se enchendo,
  • Coração parando,
  • Batimento mais forte,
  • Batimento diferente,
  • Batimento fraco,
  • dentre outros

O Carlos descreveu sua palpitação como “Um Trem Dentro do peito!” e você? Como percebe a sua Palpitação? Não esqueça de deixar seu comentário abaixo.

 

Essa Palpitação é normal? É perigosa?

Normal, não. NUNCA!

Normal é NUNCA SENTIR palpitações!

Por mais que o paciente não goste de senti-las, elas são o sinal de que alguma coisa está errada com o coração do paciente e o médico precisa ser avisado! Do ponto de vista médico, a Palpitação é a primeira isca para se chegar a um diagnóstico de Arritmia Cardíaca.

Palpitação é a Manifestação clínica de uma Arritmia Cardíaca?

 

O quê é Arritmia cardíaca?

As Arritmias cardíacas são alterações elétricas que provocam modificações no ritmo do coração. É como se o coração perdesse o compasso e tornasse fora do ritmo, arrítmico, sem ritmo. Arritmia é, portanto, uma doença que afeta o Ritmo de Batimentos do Coração!

 

Arritmia Cardíaca é um Grupo de Doenças

 

Elas formam um GRUPO de doenças do coração que atuam sobre o Ritmo Cardíaco.

Dependendo do tipo de arritmia elas podem levar a doenças no coração e a morte súbita. E devido à sua importância e potencial risco de Morte súbita, as Arritmias Cardíacas merecem uma atenção especial de médicos e pacientes.

Segundo a Associação Americana de Cardiologia:

O termo “arritmia” refere-se a qualquer alteração da sequência normal de impulsos eléctricos.

Os impulsos elétricos podem acontecer muito rápido, muito devagar ou de forma irregular – fazendo com o coração bata muito rápido, muito devagar ou de forma irregular.

Em casos graves, quando o coração não bate corretamente, e quando ele não consegue bombear o sangue de forma eficaz. Nesta situação, o coração não bombeia sangue de forma eficaz, os pulmões, cérebro e os outros órgãos não conseguem funcionar corretamente podendo levar a falência múltipla dos órgãos. 1)AHA

Nota técnica: As arritmias são provocadas por

  • distúrbios na formação do impulso elétrico que, em vez de formar-se no nó sinusal, tem origem em outras estruturas do coração, e por
  • distúrbios na condução do impulso elétrico através das câmaras cardíacas e dos feixes de condução elétrica do estímulo cardíaco.

 

Sempre que tem Arritmia tem Palpitação?

Não, absolutamente, NÃO.

Muitas vezes, o paciente está tendo uma arritmia cardíaca e não relata qualquer sintoma em seu coração, nem mesmo a Palpitação.

Por outro lado, algumas vezes, o paciente se confunde e reclama de frequêntes Palpitações, mas que o Holter não detecta a presença de nenhuma arritmia cardíaca, mesmo o paciente tendo tido palpitações no dia do exame.

Vamos reforçar alguns conceitos:

  • ARRITMIA não é PALPITAÇÃO;
  • Palpitação é a percepção do paciente de que o Ritmo do seu coração está alterado.
  • Nem sempre uma Arritmia Cardíaca está acompanhada de Palpitação.
  • Nem sempre uma Palpitação está acompanhada de Arritmia cardíaca.

 

 

Carlos teve nova palpitação, foi ao Hospital… e voltou pior!

Uma semana depois daquela primeira manifestação de Palpitação, o paciente Carlos voltou a sentir os mesmos sintomas, só que desta vez, com uma intensidade MUITO MAIOR. Ele conta…

Dessa vez, perdi o ar!

 

Senti que iria morrer e ter um infarto ou um trem parecido!

 

Dessa vez, ocorreu em um sábado, eu estava tranquilo, tentando relaxar em um churrasco com alguns amigos, sentindo-me bem à vontade quando… TUM-TÁ… TUM-TÁ… TUM-TÁ… TUM-TÁ… TUM-TÁ…

 

Tomei um copo de Coca-cola mas não resolveu… parecia que não iria melhorar…

 

TUM-TÁ… TUM-TÁ… TUM-TÁ… TUM-TÁ… TUM-TÁ…

Todos na festa já tinham percebido que Carlos não estava bem. Um dos colegas o levou ao pronto socorro mais próximo para ser atendido e enquanto aguardava para ser atendido, as palpitações foram melhorando… melhorando… melhorando…

Na hora que o médico chamou, ele já estava sem qualquer sintoma.

O médico o examinou, viu que ele já estava melhor e sugeriu que ele pudesse estar estressado, que ele “não tinha nada”. Segundo Carlos ele teve a sensação de que o médico achava que ele estava com o famoso “piti”.

Eu voltei para casa estressado e muito irritado, pois o médico achava que eu estava com frescura!

Enfim, Carlos voltou pior do Pronto socorro.

 

O quê Carlos está sentindo?

Talvez você esteja pensando e se perguntando: “O quê Carlos está sentindo?”

  • Será que ele está mesmo tendo uma Arritmia Cardíaca?
  • Será “Piti” e Ansiedade?
  • É grave?
  • Ele pode ter uma morte súbita?
  • Será que..

Esse é o grande dilema no diagnóstico e no tratamento das Arritmias cardíacas. E uma série de outras perguntas precisam ser feitas e investigadas pelo médico para chegar a um diagnóstico correto. Nesse artigo, vamos dar uma visão geral sobre diversos aspectos da investigação das arritmias cardíacas.

 

Por quê o médico do Pronto Socorro não viu nada?

Quando o paciente volta do pronto socorro irritado com o médico, que “não viu nada” esse paciente costuma ficar nervoso. Mas fique calmo pois é assim mesmo…

Para reconhecer e detectar uma arritmia cardíaca é necessário montar um APARATO DE INVESTIGAÇÃO que pode ser cansativo. Algumas arritmias cardíacas se manifestam quando o paciente está em casa e SOMEM quando o paciente está na frente do médico; por quê?

Porque Arritmia cardíaca é assim mesmo! Nem todas as Arritmias estão presentes todo o tempo. Algumas delas são rápidas e fugazes, desaparecendo da mesma forma como vieram – rapidamente.

Outras arritmias são mais estáveis e  estão presentes durante todo o tempo dando, ao médico, a oportunidade de diagnosticá-las. Nessas situações, o médico lança mão de exames complementares, como descrito abaixo.

 

Arritmia cardíaca – Quais exames devo fazer?

Essa é uma dúvida comum e a resposta está com o seu médico, mas no geral, os colegas cardiologistas lançam mão desses principais exames:

Eletrocardiograma:

o famoso ECG, eletro – que detecta cerca de 15 batimentos cardíacos. Se o médico der sorte, ele consegue “pegar a arritmia” durante esses 15 batimentos.

Holter 24horas:

O Holter é um ECG de 24 horas, com muito mais chances de “pegar a arritmia”. Mas mesmo assim, há pacientes que tem sintomas (palpitações) a cada dois ou três dias, e o holter pode não flagrar a arritmia.

Ecocardiograma:

O ecocardiograma um ultra-som do coração e não vê arritmia. O objetivo é saber se o coração está fraco ou se tem alguma outra doença do coração associada, que possar tornar a arritmia mais grave.

Teste ergométrico:

O Teste Ergométrico é um ECG durante o esforço físico. Tem por objetivo saber se a arritmia ocorre durante o esforço, se é desencadeada pelo esforço, etc.

Looping / holter de eventos:

É um Holter longo, bem longo… que o paciente pode ficar semanas ou até um mês com o aparelho… É muito chato de se fazer e muito trabalhoso, afetando muito o dia-a-dia dos pacientes. Mas é ótimo para captar as arritmias.

Estudo Eletrofisiológico:

Esse é o padrão-ouro dos exames para arritmias. Ele faz o mapeamento de todos os estímulos elétricos do coração. Mas, por ser caro e muito invasivo (semelhante a um cateterismo) é deixado para pesquisar arritmias graves e perigosas. Ele não é usado para arritmias onda a suspeita é de uma arritmia benigna.

 

Como é feito o diagnóstico das Arritmias Cardíacas?

Como dissemos acima, o diagnóstico da Arritmia cardíaca é feito com a Anamneses (consulta médica) e com os exames que falamos no parágrafo anterior.

Normalmente, usando um ou mais dessas ferramentas diagnósticas, o médico é capaz de dizer qual arritmia você tem – e é muito importante que o médico lhe diga e até escreva o nome da sua Arritmia Cardíaca.

 

Qual Tipo de Arritmia eu tenho?

Suspeitar do diagnóstico de Arritmia cardíaca é até fácil para o médico, pois a Palpitação é um sintoma bastante fácil de reconhecer.

Entretanto, já te disse que Arritmia Cardíaca é um GRUPO DE DOENÇAS, um conjunto de uma série enorme de doenças diferentes que afetam o ritmo do coração e cada uma delas tem o seu tratamento específico.

Veja abaixo a lista de alguns tipos de Arritmias Cardíacas.

 

As Extra-sístoles – a Principal Causa das Palpitações!

As Extra-sístoles são as principais causadoras das palpitações e, por isso, vou dar um destaque especial a elas, antes de listar todos os tipos de Arritmias cardíacas.

As Extra-sístoles – o Principal Causador das Palpitações.

Na grande maioria das vezes, a arritmia cardíaca que mais provoca o sintoma da palpitação é a Extra-sístole (seja ela ventricular ou supraventricular). Isso leva uma quantidade enorme de queixas dos pacientes por causa das PALPITAÇÕES.

 

Como Detectar uma Extra-sístoles!

Partindo da definição de que sístole é igual à contração do coração e diástole, o seu relaxamento, a EXTRA-sístole nada mais é que um batimento EXTRA.

Façamos uma analogia:

Um metrô está programado para chegar à estação a cada 15 minutos:

  1. 11h – Regular.
  2. 11:15  – Regular.
  3. 11:30 – Regular.
  4. 11:45  – Regular.
  5. 12:00 – Regular.

5 metrôs chegaram à estação.

 

Só que em determinado dia, ocorreu uma alteração inesperada.

  1. 11h – Regular.
  2. 11:15 – Regular.
  3. 11:30 – Regular.
  4. 11:40 – IRRegular (a mais).
  5. 11:47 – Regular (mas atrasado) – Ocorreu uma pausa de 2 minutos.
  6. 12:00 – Regular.

6 metrôs chegaram à estação.

 

Notou alguma diferença?

  1. Houve uma metrô a mais (o metrô 4 não deveria ter ocorrido), uma passagem a mais.
  2. Houve um Atraso (uma pausa) – o metrô 5 atrasou 2 minutos.

Troque a palavra METRÔ por BATIMENTO CARDÍACO?

extra sc3adstole Guia completo: Extra sístole o principal causador da palpitação.

Se você trocar a palavra metro no exemplo acima, conseguirá definir exatamente o quê é EXTRA-SÍSTOLE.

  • Metrô Extra:                   Extra-Metrô.
  • Batimento Extra:           Extra-Sístole.

No caso de metrô, isso é ótimo – mais uma opção para os passageiros, mas no caso de batimentos cardíacos… Isso costuma ser diferente e incomodar muito os pacientes.

 

Quais os sintomas das Extra-sístoles?

Voltando ao exemplo do METRÔ – o gerente da estação PERCEBEU que um METRÔ a mais passou pela estação – repito ele PERCEBEU um METRÔ-EXTRA!

No caso dos pacientes, eles percebem um BATIMENTO a mais (extra) – uma EXTRA-SÍSTOLE – repito: o paciente PERCEBEU.

 

Palpitações: é a PERCEPÇÃO de uma Extra-sístole.

A palavra chave é: PERCEPÇÃO!

A palpitação é a percepção que o paciente tem da ocorrência de uma EXTRA-SÍSTOLE – dessa forma, é o SINTOMA da ocorrência de uma Extra-Sístole. Quando estas extra-sístoles ocorrem, o paciente costuma queixar-se de palpitações, pausas, pontadas, paradas no coração, dentre outros sintomas.

 

Extra-sístoles Sem Palpitações são mais graves?

Elas estão presentes no Holter, mas você não sente nada – Isso as torna mais graves? Podem predizer uma Morte-súbita?

 

Quais os tipos de Extra-sístoles?

O seu médico deve ter lhe falado sobre as:

  • Extra-sístoles ventriculares.
  • Extra-sístoles supra-ventriculares.
  • Extra-sístoles bigeminadas – em bigeminismo.
  • Extra-sístoles trigeminadas – em Trigeminismo.
  • Extra-sístoles monomórficas.
  • Extra-sístoles polimórficas – elas são mais graves?
  • Extra-sístoles em pares.

 

Quais os Tipos de Arritmias cardíacas?

Taquicardias – Quando o Coração Acelera:

Arritmia Cardíaca ocorre quando o coração MUDA a forma com bate. Nesse caso, ACELERANDO. São as famosas Taquicardias.

Bradicardias – Quando o Coração Fica Lento:

A Arritmia Cardíaca também ocorre quando o coração MUDA a forma com bate. Nesse caso, BATENDO LENTAMENTE.

Ritmo Irregular – Quando o Coração bater de forma irregular:

A Arritmia Cardíaca também ocorre quando o coração MUDA a forma com bate. Nesse caso, BATENDO-SE DE FORMA IRREGULAR.

 

Arritmia cardíaca – Quais os Sintomas?

Os sintomas mais comuns sintomas são palpitações ou “batedeiras”, desmaios e tonturas. Em outros casos, podem apresentar confusão mental, fraqueza, pressão baixa e dor no peito. Mas, muitas vezes, as arritmias cardíacas não provocam sintomas, sendo uma doença silenciosa e, por isso, perigosa. Em casos graves, pode ocorrer parada cardíaca, que pode levar à morte súbita.

Sendo assim, os sintomas das Arritmias cardíacas podem oscilar desde a AUSÊNCIA DE SINTOMAS, passando pelas PALPITAÇÕES e até mesmo a graves sintomas de DESMAIO/TONTURA e Morte súbita.

Mas, antes de você, leitor, ficar estressado e preocupado, o que eu disse no parágrafo acima NÃO É UMA SEQUÊNCIA – o que significa dizer que as suas palpitações estão a um passo da Morte Súbita, ou que se você não tem sintomas, agora, que você os terá daqui a algum tempo e que depois irá avançar para Morte Súbita. NÃO, NÃO É ASSIM.

 

Arritmia cardíaca – Quais as Causas?

Como disse anteriormente, as arritmias cardíacas podem ser causadas por problemas do Coração (na formação do estímulo elétrico que faz o coração bater), mas também podem ser causados por problemas sistêmicos (não cardíacos), em outros órgãos do corpo e até mesmo pela alimentação inadequada.

Causas Cardíacas:

  • Problemas nos Átrios.
  • Problemas nos Ventrículos.
  • Problemas nas Válvulas
  • Problemas no Músculo Cardíaco.

Causas Não-Cardíacas:

  • Anemia
  • Exercícios e atividade física.
  • Ansiedade, estresse e Síndrome do pânico.
  • Uso de pílulas para emagrecimento
  • Febre
  • Ventilação excessiva
  • Tireoide excessivamente ativa.

 

Outras Causas de Arritmia Cardíaca, incluindo:

  • Um ataque cardíaco
  • As alterações na estrutura do seu coração, como o de cardiomiopatia
  • Artérias bloqueadas em seu coração (doença arterial coronariana)
  • Pressão alta
  • Diabetes
  • Hiperatividade da glândula tireóide (hipertireoidismo)
  • Glândula tiróide (hipotiroidismo)
  • Fumo / Tabagismo.
  • Beber muito álcool ou cafeína
  • Abuso de drogas
  • Estresse
  • Certos medicamentos de prescrição
  • Alguns suplementos alimentares e ervas tratamentos
  • Choque elétrico
  • Poluição do ar 2)MayoClínic

 

 

Quem está mais sujeito a ter Arritmia?

Qualquer pessoa, independente da faixa etária e sexo, pode sofrer (ou ter) uma arritmia cardíaca. No entanto, a grande maioria dos casos está em pessoas que possuem doenças cardíacas ou já sofreram graves doenças cardíacas, e pessoas que têm histórico de doenças da família (pais, irmãos etc).

 

Qual a relação entre o Álcool e a Arritmia cardíaca?

Posso beber minha cerveja? Gosto de Vodka, devo beber? Qual a quantidade de álcool que devo usar?

 

Café e Arritmia Cardíaca – uma Verdade surpreendente!

Muitos médicos dizem que o café causa arritmia cardíaca, outros levantam dúvidas. Alguns pacientes não acreditam nessa afirmação enquanto outros juram de pés juntos que uma única xícara lhe causa palpitações – qual é a verdade?

É verdade que alguns refrigerantes causam palpitações?

 

 

Tenho Arritmia. Posso jogar futebol?

Qual a relação entre arritmia e a atividade física? Até onde posso forçar? Devo suspender a atividade física? Só posso ser o Gandula da pelada?

 

Principais fatores de risco para Arritmia Cardíaca:

As arritmias são mais comuns em pessoas que têm doenças ou condições que enfraquecem o coração, tais como: 3)NIH

  • Ataque cardíaco
  • A insuficiência cardíaca ou cardiomiopatia, o que enfraquece o coração e muda a forma como os sinais elétricos se mover através do coração
  • Tecido do coração que é muito grosso ou duro, ou que não se formou normalmente
  • Insuficiência/Vazamento ou estreitamento das válvulas cardíacas, que fazem o coração trabalhar de forma muito difícil e pode levar à insuficiência cardíaca
  • As cardiopatias congênitas (defeitos presente no nascimento) que afetem a estrutura ou função do coração

 

Tenho Arritmia, quais os meus Riscos?

Muitos pacientes são portadores de Arritmia Cardíaca e isso não significa que eles estão sob risco de Morte Súbita. Tudo dependerá do TIPO de Arritmia que ele tem. Há arritmias graves e perigosas, mas há outras que não lhes causam nenhum dano ou risco de vida.

 

Quando a Arritmia Cardíaca é perigosa?

Tudo depende do tipo de Arritmia cardíaca, mas, no geral, as arritmias mais perigosas são aquelas que estão acompanhadas de problemas no coração, como:

  • Cardiomegalia (coração crescido).
  • Disfunção ventricular (coração fraco).
  • Valvulopatias (doenças nas válvulas do coração).
  • Dentre outros problemas.

 

Há Arritmias perigosas por si só?

Sim, há. Algumas arritmias cardíacas são perigosas independente da presença das alterações que eu descrevi acima. Algumas delas são:

  • Bradi-Arritmias:
  • Taqui-Arritmias:
    • Taquicardia Ventricular.
    • Fibrilação Ventricular.
    • Flutter Ventricular

 

Quais as Arritmias que são benignas, menos perigosas?

Pois bem. Só o seu médico pode lhe dizer quais são as arritmias que são menos perigosas, mas, de modo geral, quando não existe nenhuma condição clínica (doença associada), as arritmias mais benignas são:

  • Extra-sístoles ventriculares isoladas. 4)AHA – Extra-sístoles
  • Extra-sístoles supra-ventriculares isoladas.
  • Bloqueios Atri0-ventriculares de primeiro grau (que não chega a ser uma arritmia, por definição).

 

Qual o tratamento para as Arritmias cardíacas?

Essa pergunta é difícil e ampla, pois para cada Arritmia há um tratamento específico. Mas de modo geral, o médico irá usar uma das abordagens a seguir:

Para as Bradi-Arritmias (quando o coração está lento):

O médico irá retirar algum medicamento que possa estar tornando os batimentos do coração mais lento, ou.

Ele irá colocar um aparelho (um marca-passo) para manter o passo do coração.

Para as Taqui-Arritmias (quando o coração está acelerado):

O médico irá utilizar medicamentos para bloquear e tornar lento os batimentos do coração, ou

Em casos mais raros e graves, utilizar aparelhos automáticos que interrompam as Taqui-Arritmias perigosas (como o Cardioversor Desfibrilador Implantável – o CDI)

.

Posso morrer por causa de uma Arritmia?

Dependendo do tipo de arritmia, sim, pode, pois é uma doença cardíaca. Entretanto, há hoje diversos tratamentos que você será submetido para que a chance de você ter uma Morte súbita sejam mínimas. Como disse acima, há aparelhos avançados como Marca-Passo e o CDI que reduzem muito a chance de Morte súbita e podem revertê-la rapidamente, caso ocorram.

Veja o video abaixo: Note que o jogador de futebol teve um Mal Súbito, provavelmente causado por uma das Arritmias Fatais e por ele utilizar um aparelho que interrompe a arritmia cardíaca, ele foi Ressuscitado (é esse o termo que os cardiologistas utilizam):

.

 

Veja a Lista de Arritmias Cardíacas:

[Fique à vontade para pular esta parte – é técnica]

Muitos pacientes chegam até o meu consultório e dizem que tem arritmia cardíaca. Daí, eu pergunto: Qual arritmia?

Enfim, eles dificilmente sabem responder, até mesmo por que é difícil responder, pois há uma série de nomes diferentes para as Arritmias cardíacas que até mesmo os médicos tem dificuldades de conhecer. Vou citar algumas e colocarei o link delas para artigos que serão escritos:

Arritmias Geradas nos Átrios:

Arritmias Geradas no Nó Sinusal:

  • Arritmiasinusal
  • Taquicardia Sinusal e Sinusal Paroxística: Quando a freqüência cardíaca é de mais de 100 batimentos por minuto (BPM) em adultos é chamado de taquicardia. 5)AHA
  • Bradicardia Sinusal
  • Taquicardia Sinusal
  • Bloqueios Sinoatriais (de Primeiro, Segundo e Terceiro Graus)
  • Extra-sístoles sinusais.

Arritmias Geradas nos Ventrículos:

  • Ritmo ventricular;
  • Taquicardia ventricular monomórfica;
  • RIVA – Ritmo IdioVentricular Acelerado;
  • Taquicardia Ventricular Lenta;
  • Torsade de Pointes;
  • Taquicardia Ventricular Bidirecional
  • Flutter Ventricular;
  • Fibrilação Ventricular;

Arritmias Geradas no Nó Atrioventricular:

  • Ritmo Nodal;
  • TRAVN – Taquicardia Reentrante atrio-ventricular nodal;
  • Taquicardia juncional ectópica automática (JET);
  • Taquicardia não-paroxística nodal;
  • Bloqueio AV
  • Extra-sístoles juncionais;
  • Escape juncional;

Arritmias por Bloqueio AtrioVentricular (BAV):

Alterações no Eletrocardiograma:

Confira as principais alterações do eletrocardiograma.

Eletrocardiograma, ECG – Seu guia Completo!

Extra-sístoles e Parassístoles:

Ritmos de Escape:

Dissociação Atrioventricular:

Síndrome de Wolff-Parkinson-White e outras Vias anômalas:

Síndrome de Brugada:

Doença Rara, associada a Morte Súbita, que normalmente passa desapercebida. Não está associada a nenhuma outra doença cardíaca e que se manifesta com Síncope e, às vezes, com a própria morte súbita. É grave.

Taquicardias Regulares

Vivendo com uma Arritmia Cardíaca!

Mudanças de estilo de vida

Muitas arritmias são causadas por uma doença cardíaca subjacente. Mantenha seu coração saudável, seguindo uma dieta saudável.

Uma dieta saudável inclui uma variedade de frutas e legumes. Ela também inclui grãos integrais, produtos livres de gordura trans ou de baixo teor de gordura trans e alimentos ricos em proteínas, como carnes magras, aves sem pele, frutos do mar, nozes, sementes e grãos e ervilhas. 6)NIH

 

E então? Qual a sua dúvida?

Agora é a sua vez. Deixe a sua pergunta e dúvida que eu irei complementando o artigo com base nas dúvidas dos leitores. Fico no aguardo.

Esse artigo estará em constante atualização e as suas dúvidas são a principal maneira de atualizá-lo – portanto, participe e deixe o seu comentário.

References   [ + ]

1. AHA
2. MayoClínic
3. NIH
4. AHA – Extra-sístoles
5. AHA
6. NIH

Quer me fazer uma pergunta?

Vamos lá! Coloque seu melhor E-mail no campo cina e veja como me perguntar! Não fique na dúvida!

Veja seu E-mail: Sua inscrição foi um Sucesso!

Share This

Compartilhe!

Compartilhe esse artigo com amigos!