Diagnóstico inédito do Ministério do Esporte mostra que sedentarismo no Brasil atinge 45,9% da população

Diagnóstico inédito do Ministério do Esporte (ME) sobre a prática de esportes e atividades físicas lançado nesta segunda-feira (22/06) mostra que 41,2% dos brasileiros e 50,4% das brasileiras são sedentários; a média é de 45,9%. Outro dado que serve de alerta para a população é o de que entre os 25,6% adeptos regulares do esporte e os outros 28,5% de atividades físicas, a grande maioria não recebe nenhuma orientação de profissional.

cycling-655565_640A afirmação é de 90,3% dos esportistas e se refere a 71,7% daqueles que preferem uma caminhada ou academia. A Organização Mundial de Saúde (OMS) classifica como não sedentário quem faz alguma atividade física de três a cinco vezes por semana por pelo menos 30 minutos.

Ao todo, foram realizadas 8.902 entrevistas para o Diagnóstico Nacional do Esporte: Diesporte (acesse a íntegra da pesquisa) com pessoas entre 14 e 75 anos. A pesquisa detalhou as informações por região do país e identificou, ao contrário do que se costuma imaginar, que é na região Sudeste onde se concentra a maior parte dos sedendários: 54,4%. O Norte do Brasil é a região com mais gente se exercitando, 37,4% se declararam sedentários. No Nordeste são 38,5% de pessoas sem praticar nenhuma atividade física e, na sequência, Sul (39,3%) e Centro-Oeste (45,1%).

 

~Pesquisa2Há um intenso debate sobre a diferenciação entre esporte e atividade física, mas os entrevistados puderam responder livremente a natureza da prática. A definição de atividade física é vinculada à promoção de saúde e elevação da qualidade de vida. O Conselho Europeu do Esporte define esporte pelas formas de atividade corporal que, através de participação ocasional ou organizada, visam exprimir ou melhorar a condição física e o bem-estar mental, constituindo relações sociais ou a obtenção de resultados. (Diagnóstico Nacional do Esporte: Diesporte / Ministério do Esporte)
Se compararmos a incidência do sedentarismo dos brasileiros com os vizinhos latino-americanos, o Brasil está em uma situação melhor que a Argentina, que tem 68,3% da população sedentária, mas pior que o Uruguai: 34,1% não se exercita por lá. O diagnóstico do ME, aponta Índia (15,6%) e Inglaterra (17%) como os países com menores taxas de sedentários.

Não falta informação

O curioso da pesquisa é que 80,4% das pessoas entrevistadas afirmaram conhecer os riscos que a falta de atividade física pode trazer e responsabilizaram a falta de tempo (69,9%) pela decisão de não se exercitar. A preguiça aparece em segundo lugar com 7% das justificativas e a falta de motivação foi apontada por 6,1% da população.Para quem não sabe, a prática regular de atividade física, segundo o Ministério do Esporte, fortalece os músculos, melhora a frequência dos batimentos cardíacos e circulação, reduz sintomas da ansiedade e depressão e ainda evita ou controla doenças como obesidade, diabetes e osteoporose.

Perfil do Sedentarismo no Brasil

~A faixa etária mais expressiva de brasileiros que pratica esporte ou atividade física é entre 16 e 24 anos. Por outro lado, é a que se mostrou mais suscetível a abandoná-las: 45% dos entrevistados declararam que deixaram de se exercitar no ano de 2013*. Tal fato sugere que a decisão coincide com o período em que o indivíduo, de ambos os gêneros, sai da escola para o mundo do trabalho. Segundo o MS, a análise desses dados mostra que quase 90% dos brasileiros abandonam a prática esportiva até os 34 anos.A escola e a universidade foram apontadas como o local do início da prática esportiva para 48%, seguida por espaços públicos abertos com estrutura (15,6%) e espaço aberto sem infraestrutura aparece na terceira posição (9,9%). Segundo o próprio Ministério do Esporte, esse raio X da situação do sedentarismo brasileiro vai impulsionar decisões de políticas públicas.Para os praticantes de esporte, a principal motivação é a qualidade de vida (41,4%), seguida de desempenho físico (37,8%). A situação se repete entre os adeptos de alguma atividade física: 36,3% querem mais qualidade de vida e 29,3%, desempenho físico. Nessa categoria, 4,5% disseram que a indicação médica foi o que pautou a decisão.

Preferências
PesquisaSem surpresas, o futebol aparece como o esporte preferido e foi o mais praticado em 2013 para 42,7% dos entrevistados. Na sequência, aparecem a caminhada (8,4%) e o voleibol (8,2%). Quando os dados são analisados por gênero, o futebol fica em segundo lugar para as mulheres (19,2%). O preferido delas é o voleibol (20,5%).

Publicado Originalmente em SaúdePlena 1)SaúdePlena

 

References   [ + ]

1. SaúdePlena

Author: Dr. Leonardo Alves

Médico, Cardiologista que entende que a internet pode e deve ser uma fonte inesgotável de informações para os pacientes.
CRMMG: 33.669 – Trabalha na Clínica Cardiovasc, em Teófilo Otoni, MG

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This

Compartilhe!

Compartilhe esse artigo com amigos!