where to buy provigil online usa A Disfunção Diastólica ou see Relaxamento Diastólico Anormal do VE (ou ainda, Disfunção Diastólica Grau 1) é uma situação clínica que é bastante frequente e muitos pacientes ficam na dúvida sobre ela. Também conhecida como: disfunção diastólica do VE; disfunção diastólica Fase 1; Disfunção Diastólica de Primeira Fase, dentre outros nomes.

No geral, ela é encontrada no Ecocardiograma e os pacientes ficam com algum estresse quando vêem a palavra DISFUNÇÃO DIASTÓLICA, outras vezes chamada de Relaxamento diastólico Anormal do VE. Confira!

beipackzettel seroquel 200 mg

Disfunção diastólica – Sinônimos:

A Disfunção Diastólica do ventrículo esquerdo possui vários sinônimos e diferentes regiões do Brasil descrevem-na de diferentes maneiras, veja:

  • Relaxamento Diastólico anormal do VE (o que eu mais gosto).
  • RDA (abreviação do promeiro).
  • Disfunção diastólica de primeira fase.
  • Disfunção diastólica – Fase 1
  • Disfunção diastólica do VE.
  • Disfunção Diastólica do VE tipo Alteração do Relaxamento;
  • Relaxamento Diastolico do VE – Alterado (Fase 1).

Leia mais:

Função Sistólica e Função Diastólica:

O ciclo cardíaco é composto da função de contração e a função de relaxamento – são duas fases, portanto, a fase de Contração.

Função Sistólica:

A função mais importante do coração é a função de bomba, função de contração, chamada função SISTÓLICA e isso é bastante conhecido dos médicos e dos pacientes. Ao analisar o seu coração, o médico irá avaliar a Função Sistólica para saber se o seu coração está contraindo corretamente, ou seja, com uma força normal, suficiente para mantê-lo sem sintomas e também se todas as paredes, partes do coração estão contraindo uniformemente, sem o que chamamos de alterações segmentares (quando um segmento do coração não contrai adequadamente).

 

Função Diastólica:

A outra função que o médico analisa é a função diastólica, que é o momento em que o coração está relaxado ou relaxando-se (após uma contração). A função diastólica também exerce um papel bastante importante no funcionamento do coração, pois algumas doenças afetam SOMENTE  a função diastólica (durante a fase de relaxamento, pós contração/sístole).

 

Como eu posso vê-la no exame?

disfunção diastólicaO Ecocardiograma é o único exame que faz esse tipo de descrição e que analisa e descreve a Função Diastólica. No exame você poderá ver uma das imagens que estão na figura abaixo.

 

O Eletro ajuda ver a Disfunção Diastólica?

Não, de modo geral, o Ecocardiograma é o exame de escolha e o mais adequado para a avaliação.

Leia mais:

Disfunção Diastólica – Quais os tipos?

1 – Disfunção diastólica de fase 1.

Também chamada de Relaxamento diastólico anormal do Ventrículo esquerdo – Abreviação: RDA. A mais comum e menos sintomática delas. Essa é uma alteração que não traz maiores problemas para o paciente e é muito comum encontrá-la em pacientes com Pressão Alta ou diabéticos ou ainda na grande maioria dos pacientes com problemas cardíacos já conhecidos.

Raramente essa Disfunção diastólica de Fase 1 representa ou indica uma grave doença cardíaca. Mas ela deve ser avaliada juntamente com outras características clínicas que só o seu médico pode avaliar.

 

2 – Disfunção diastólica de fase 2.

Também chamada de Padrão Pseudo-normal (falso normal) de relaxamento diastólico do VE (ventrículo esquerdo).

Essa já é uma alteração que pode representar uma fase mais avançada da Disfunção Diastólica e está presente em pacientes em que a pressão de enchimento do ventrículo esquerdo está um pouco mais elevada (desculpe pela definição mais técnica). O seu médico fará uma análise mais detalhada.

 

3 – Disfunção diastólica de fase 3.

Também chamada de padrão restritivo – o mais grave e avançado e que costuma causar muitos sintomas no paciente.

Essa é a Disfunção diastólica de maior repercussão e que pode trazer um número maior de sintomas ao paciente. Aqui, as pressões de enchimento do ventrículo esquerdo estão muito acima do normal e o médico fará o tratamento adequado para reduzir os sintomas do paciente. O seu médico fará uma análise mais detalhada.

Também a Disfunção Diastólica de Fase 3 está presente nas doenças restritivas, que falaremos mais em outro artigo.

 

Essas alterações podem evoluir (piorar)?

Sim, podem, mas não é o comum. Quando o médico inicia o tratamento para a doença do paciente, ele espera que as alterações do relaxamento diastólico voltem a ficar em padrões normais ou principalmente, em Fase 1.

Evoluções possíveis:

  1. Fase 1 para Fase 2: não é bom, melhor verificar.
  2. Fase 2 para Fase 1: ótimo, está melhorando.
  3. Fase 2 para Fase 3: é ruim, mesmo.
  4. Fase 3 para Fase 2: ótimo.
  5. Relaxamento normal para Fase 1: não causa tanta preocupação e é comum ocorrer com a idade e com a presença de doenças como Hipertensão arterial e diabetes.

Leia mais:

E então, entendeu? Gostaria de saber mais?

Tem alguma dúvida a respeito… falaremos mais logo, logo.

Quer me fazer uma pergunta?

Vamos lá! Coloque seu melhor E-mail no campo cina e veja como me perguntar! Não fique na dúvida!

Veja seu E-mail: Sua inscrição foi um Sucesso!

Share This

Compartilhe!

Compartilhe esse artigo com amigos!