Dor no Peito: 19 causas importantes e Graves! (Parte 1)

A Dor no Peito preocupa qualquer paciente e qualquer médico – pois é necessário um diagnóstico rápido- – Será uma doença grave? Será algo simples? Há risco de vida? Posso relaxar? Nesse artigo, listei 19 causas importantes e Graves de dor no peito! Confira.

Agende sua consulta!

Meu nome é Leonardo Alves, sou médico cardiologista e recebo inúmeras perguntas e comentários sore a dor no peito… Resolvi fazer uma série de artigos para que você possa entender a sua dor um pouco melhor sobre o seu problema. Não deixe de ler.

Esse artigo foi dividido em quatro partes para facilitar a sua leitura:

A dor torácica (no tórax / no peito) é um sintoma comum associado a uma variedade de possíveis causas. É a

A dor no peito é um sintoma comum!

A dor torácica (no tórax / no peito) é um sintoma comum associado a uma variedade de possíveis causas. É a segunda razão mais freqüente relatada para visitar a unidade de emergência, perdendo apenas para a dor abdominal (1) 1)Docsoppinion.com

A causa da dor torácica em pacientes ambulatoriais pode variar de condições fatais para aquelas que são relativamente inofensivas. As causas mais comuns de dor torácica são;

  • doenças músculo-esqueléticas (30-50%) e
  • gastrointestinais (10-20%).
  • restante… (30%)

 

Quando a dor no peito é grave e perigosa?

Agende sua consulta!

Exemplos de condições fatais que podem causar dor no peito e chamar atenção médica imediata são:

  • Síndrome coronariana aguda (SCA),
  • embolia pulmonar,
  • pneumotórax de tensão,
  • tamponamento pericárdico e
  • ruptura do esôfago.
  • dissecação da artéria aorta.

Como classificar a dor no peito?

É prático classificar os grupos de condições que podem estar causando a dor no peito;

  • Cardíacas (causado por doença cardíaca)
  • Pulmonares (causada por doença pulmonar)
  • Gastrointestinais (causada por distúrbios digestivos)
  • Músculo-esqueléticas
  • Psiquiátricas
  • de outros

Seria adequado pensar PRIMEIRO em dor cardíaca?

Sim, é adequado! (mas continue lendo e não se desespere!)

Atualmente, todas as dores no peito são consideradas suspeitas de doença arterial coronariana, até que seja comprovado o contrário. Essa afirmação é importante quando se tem o objetivo de tratar rapidamente um infarto e de evitar morte súbita cardíaca.

Está com dor do no peito? O quê a clínica deve fazer?

Você deve realizar uma Consulta médica e Eletrocardiograma de forma rápida!

No meu consultório, quando o paciente chega com dor no peito, as secretárias são orientadas a realizar rapidamente um eletrocardiograma e me mostrá-lo imediatamente – para que eu possa fazer uma avaliação inicial.

A maioria dos hospitais nos EUA tem departamentos ou unidades de dor torácica, um serviço de acesso rápido para pacientes com dor no peito, com a realização de testes de sangue, eletrocardiograma, testes de esforço (teste ergométrico) e técnicas de imagem (ecocardiograma) para a detecção precoce de doença coronariana.

Agende sua consulta!

A importância da História na avaliação da Dor no Peito!

A História clínica é um fator chave na determinação e investigação da causa da dor no peito. A História e exame físico são de crucial importância quando se trata de avaliar a probabilidade de diferentes causas de dor no peito e determinar a necessidade de mais testes.

Desconforto no Peito – Quando o coração é o suspeito?

Quando um paciente chega ao médico relatando um desconforto no peito, o médico irá se preocupar e tentará, de todas as formas, saber a origem desse desconforto – como visto no artigo anterior – aqui ou clique abaixo.

Queimação, Peso, Dor e Desconforto no peito esquerdo. É Grave?

Como é a dor no peito cardíaca?

O caráter ou qualidade da dor é importante. Dor no peito pode ser apenas um desconforto vago, ou pode ser afiada, rasgando, rasgando, ou uma sensação de pressão, plenitude ou aperto no peito.

Onde é a dor no peito cardíaca se localiza?

A localização da dor pode ajudar a determinar sua origem. Dor devido à doença arterial coronariana pode irradiar para o pescoço, mandíbula e braços. A dor pleurítica (vinda da pleura) geralmente piora com a respiração. Essa dor está associada a várias condições do coração e dos pulmões.

Como a dor no peito cardíaca se inicia?

Saber o início da dor é útil. Um início abrupto pode sugerir pneumotórax e dissecção aórtica. Dor no peito que dura apenas alguns segundos ou dor que é consistente ao longo de semanas a meses não costuma ser devido à doença arterial coronariana (2).

Como a dor no peito é desencadeada?

A forma como a dor no peito pode ser provocada é de suma importância.

A dor torácica provocada pelo esforço é típica da angina de peito (3). A dor agravada pela deglutição é provavelmente de origem esofágica. A dor torácica associada à posição do corpo ou a certos movimentos é provavelmente de origem músculo-esquelética, assim como uma dor bem localizada associada à sensibilidade à palpação (aperto no local).

Agora que você já tem uma noção básica, vamos descrever cada uma das 19 causas de dor no peito.

Agende sua consulta!

Causas Cardíacas – Doenças Cardíacas Causando Dor Do Peito!

1. Síndrome Coronária Aguda (SCA)

É a dor do infarto do miocárdio e situações semelhantes.

O termo síndrome coronariana aguda abrange uma série de condições associadas a uma redução súbita no fluxo sanguíneo para o músculo cardíaco. Inclui condições como:

  • infarto do miocárdio com elevação do segmento ST (IAMCSST) e
  • infarto do miocárdio SEM elevação do segmento (IAMSSST) (4).

O mecanismo subjacente geralmente envolve a ruptura de uma placa aterosclerótica em uma artéria coronária com coagulação sanguínea sobreposta (trombose), bloqueando assim o suprimento sanguíneo (5).

A síndrome coronariana aguda e ataque cardíaco agudo são a mesma coisa e devem sempre ser tratados como uma emergência médica.

Infarto do Miocárdio – Sintomas, Angina, Tratamento…

Pacientes com síndrome coronariana aguda normalmente sentem:

  • pressão,
  • plenitude ou aperto no peito.
  • Irradiação: Às vezes há uma dor abrasadora que pode irradiar para as costas, pescoço, mandíbula, ombros e braços, particularmente o braço esquerdo.

A dor geralmente dura mais de alguns minutos. Se houver um bloqueio completo de uma grande artéria coronária causando infarto do miocárdio, a dor pode durar várias horas. Pode estar associado a falta de ar, suores frios, tonturas ou fraqueza, náuseas e vômitos.

 

2. Angina Pectoris

O termo angina de peito ou angina é usado para descrever dor no peito ou desconforto, muitas vezes sentida como uma pressão ou uma sensação de aperto no peito. A dor pode irradiar para os ombros, braços, pescoço, mandíbula ou a região de volta entre as omoplatas.

Angina pectoris não é uma doença. É um sintoma, geralmente causado pelo fluxo sanguíneo inadequado em uma artéria coronária resultando em insuficiente suprimento de sangue rico em oxigênio para uma área do músculo cardíaco. Assim, na maioria dos casos, a angina reflete a doença arterial coronariana subjacente (3).

Angina, o Mais Grave dos Sintomas de Infarto!

A angina é provocada pelo esforço…

Tipicamente, um paciente com angina não experimentará sintomas em repouso.

No entanto, durante o exercício, as demandas de oxigênio do músculo cardíaco vai aumentar. Se o fornecimento de sangue em uma artéria coronária é limitado, geralmente por causa de uma placa aterosclerótica, a angina ocorrerá. Se o paciente parar de se exercitar, o suprimento de oxigênio voltará a atender as demandas e a angina vai resolver.

Agende sua consulta!

Casos de consultório… um alerta!

No meu consultório, tenho muitos pacientes com dores anginosas que merecem ser esclarecidas e servem de alerta para você que está lendo… Veja:

Caso 1: Manoel, 56 anos, portador de Hipertensão arterial, diabetes e colesterol alto. Ativo, faz corridas e trotes, além de gostar muito de pedalar em trilhas. Ele relata que a sua dor no peito sempre aparecia ao final do seu exercício físico, quando sua corrida de 10 km estava chegando aos 8km (faltando apenas 2 km)… ela também aparecia quando, na trilha de bike, ele subia um morro, um aclive… Na baixa, no plano, ele não sentia a dor; aliás, a dor aliviava com menos esforço ou em áreas planas. Nesse momento, ele veio até mim para consultar.

Caso 2: Pedro, 57 anos, portador de diabetes e fumante, sem colesterol alto e sem hipertensão arterial e fazia caminhadas regularmente. Ele relata que sempre tinha o hábito de fazer suas compras de supermercado à pé, onde podia andar cerca de 5 km. De uns tempos para cá, na volta do supermercado, passou a ter dor no peito, leve, espalhada pelo peito, mas com um leve peso nos braços (ele achava que era a sacola da feira). Como essa dor estava aumentando a cada viagem para as compras, ele deixou de ir à pé e passou a ir ao supermercado de carro. Desde então, a dor no peito desapareceu. Pedro melhorou?

Como interpretar as duas situações?

Resposta: Ambos os pacientes tem a mesma dor no peito que é provocada pelo esforço. A diferença é que:

Caso 1: Manoel percebeu a Angina e veio ao médico.

Caso 2: Pedro sente-se melhor, agora sedentário, não faz mais caminhada e não sente mais dor. Motivo: Seu coração deixou de ser exigido. Mas se fizer esforços novamente, terá angina ou, infelizmente, MORTE SÚBITA.

Portanto, caso tenha dor no peito, procure seu médico.

3. Dissecção aórtica

A dissecção da aorta é uma condição séria em que há um rasgo na camada interna da aorta (o vasto vaso sanguíneo se ramificando do coração). Pelo fato do sangue poder passar por esse rasgo, as camadas interna e média da aorta se separam levando a uma condição chamada dissecção. O novo canal cheio de sangue (que chamamos de falsa-luz) pode romper através da parede externa da aorta causando sangramento fatal.

Pacientes com dissecção aguda da aorta geralmente apresentam dor aguda, grave, no peito e nas costas, que geralmente é afiada e pode ser sentida com algo rasgando dentro do seu peito. No entanto, alguns pacientes apresentam apenas dor leve, muitas vezes confundida com um sintoma de condição músculo-esquelética (6).

A dor da dissecção aórtica é tipicamente distinguida da dor da Angina e Insuficiência coronariana aguda (descritas acima) pelo seu início abrupto e que já tem uma severidade e intensidade máxima no início, embora as apresentações das duas condições se sobrepor em algum grau e sejam facilmente confundidas (6).

A dissecção da aorta é relativamente rara. Ocorre mais freqüentemente em homens em seus 60s e 70s.

A dissecção da aorta é uma emergência médica. A chance de sobrevivência é melhorada pela detecção precoce e tratamento adequado – normalmente cirúrgico.

Agende sua consulta!

Leia mais:

Leia Também:

4. Pericardite e Miopericardite

Pericardite é uma inflamação (inchaço) do pericárdio, uma fina membrana ou saco que rodeia o coração. Na maioria dos casos, nenhuma causa específica é identificada, embora uma infecção viral normalmente possa ser responsável.

Como é a dor da pericardite?

O sintoma primário pode ser uma dor repentina, afiada e apunhalante atrás do esterno (esterno). No entanto, às vezes só pode haver uma dor maçante e chata.

A dor da pericardite geralmente piora quando deitado ou quando respira (ao inspirar) – (dor pleurítica). Muitas vezes pode melhorar quando o paciente permanece sentado e inclinado para a frente.

A pericardite geralmente não é uma condição grave, e raramente é necessária a admissão hospitalar.

Como é feito o diagnóstico de pericardite?

Às vezes, pode haver alterações no eletrocardiograma (ECG) que são típicas da pericardite. A ausculta cardíaca pode revelar uma fricção do atrito pericárdico típica da pericardite aguda. A inflamação tem um arranhar semelhante ao couro esfregando contra couro (7).

Qual é o tratamento?

Os anti-inflamatórios não esteróides (AINEs) são o pilar da terapia. A colchicina e os corticosteróides são por vezes utilizados.

Quanto tempo os sintomas duram?

Os sintomas geralmente desaparecem dentro de uma semana. No entanto, alguns pacientes apresentam pericardite recorrente ou pericardite crônica onde os sintomas duram mais de três meses.

O termo miopericardite implica que existe uma inflamação do músculo cardíaco (miocárdio) também.

Leia mais:

Leia Também:

5. Cardiomiopatia de Stress (Takotsubo)

A cardiomiopatia de estresse, também chamada de síndrome do coração partido, síndrome de balonismo apical ou cardiomiopatia de takotsubo, foi descrita pela primeira vez em 1990 no Japão. Embora seus sintomas imitam aqueles de um ataque cardíaco agudo, é uma desordem inteiramente diferente e não é causado por artérias coronárias bloqueadas.

O que provoca a Síndrome do Coração Partido?

A causa é o Estresse!

Pacientes com cardiomiopatia de stress experimentam dor torácica repentina e intensa precipitada por um evento emocionalmente estressante. Poderia ser a morte de um ente querido, a dissolução de um relacionamento, abuso doméstico, argumentos, devastadoras perdas financeiras ou um desastre natural (8).

A desordem é caracterizada por uma contração severamente diminuída de uma parte do músculo cardíaco. Isso às vezes pode levar à insuficiência cardíaca, irregularidades do ritmo cardíaco e choque cardíaco grave.

Os pacientes são geralmente admitidos na unidade de cuidados coronarianos (UCO) para observação, estudo posterior (cateterismo e ecocardiograma) e tratamento adequado.

Embora a função do músculo cardíaco possa ser severamente afetada durante a fase inicial, a recuperação é geralmente completa e os pacientes melhoram.

Quer aprender mais? Veja as outras partes desse artigo.

Quer quer eu explore mais algum desses assuntos? Deixe o seu comentário e faça a sua pergunta! Esse artigo foi dividido em quatro partes para facilitar a sua leitura:

Esse artigo foi dividido em quatro partes para facilitar a sua leitura:

Até o próximo.

References   [ + ]

Author: Dr. Leonardo Alves

Médico, Cardiologista que entende que a internet pode e deve ser uma fonte inesgotável de informações para os pacientes. CRMMG: 33.669 - Trabalha na Clínica Cardiovasc, em Teófilo Otoni, MG

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This

Compartilhe!

Compartilhe esse artigo com amigos!