Dores no Peito – GastroIntestinais – 19 causas! (Parte 3)

Os distúrbios e problemas gastro-intestinais podem ser uma importante causa de dores no peito. Médicos e pacientes precisam dar muita atenção a esse tipo de dor, para não serem pegos de surpresa. Confira!

Esse artigo foi dividido em cinco partes para facilitar a sua leitura: 1)Docsoppinion.com

 

Doenças gastrointestinais – Distúrbios digestivos causando dor no peito

Queimação, Peso, Dor e Desconforto no peito esquerdo. É Grave?

12. Doença de Refluxo Gastroesofágico (DRGE)

A doença de refluxo gastroesofágico (DRGE) é uma causa comum de dor no peito (16).

É uma doença crônica digestiva que ocorre quando o ácido do estômago ou, ocasionalmente, o conteúdo do estômago, flui de volta (refluxo) para o esôfago. O refluxo irrita e pode danificar o revestimento do esôfago causando a doença.

A maioria das pessoas saudáveis ​​experimentam refluxo ácido e azia de vez em quando. No entanto, quando estes sintomas ocorrem pelo menos duas vezes por semana ou interferem com a vida diária, a DRGE deve ser suspeitada e investigada.

A dor torácica associada à DRGE pode imitar a angina de peito. Pode ser descrito como se fosse espremer ou queimar, sentida por trás do esterno (subesternal) e às vezes irradiando para a parte das costas, pescoço, mandíbula ou braços. É geralmente aliviada por antiácidos.

A maioria das pessoas pode administrar os sintomas de DRGE com mudanças de estilo de vida e medicamentos que compram em farmácias, sem receita médica. Mas alguns pacientes podem precisar de drogas mais potentes, ou mesmo cirurgia, para reduzir os sintomas.

13. Esofagite causando dor no peito:

O termo esofagite descreve uma inflamação ou inchaço do esófago.

As formas comuns de esofagite incluem:

  • esofagite por refluxo,
  • esofagite infecciosa,
  • esofagite por pílula,
  • esofagite eosinofílica e
  • esofagite causada por quimioterapia ou radioterapia para câncer (17).
  • A esofagite por Candida é o tipo mais comum de esofagite infecciosa.

A azia é o sintoma mais comum da esofagite. Outros sintomas comuns incluem desconforto abdominal superior, náuseas, inchaço e plenitude.

Pacientes com esofagite podem apresentar dor torácica que é bastante semelhante à angina de peito. No entanto, a dor da esofagite é mais persistente, geralmente dura mais tempo (mais de uma hora), é muitas vezes associada com azia, e geralmente é aliviada por antiácidos.

14. Ruptura Esofágica e Dor no peito

A ruptura espontânea do esôfago (síndrome de Boerhaave) é incomum. Acredita-se que seja causada por um aumento súbito na pressão dentro do esôfago geralmente causada por tensão ou vômitos (18).

A ruptura esofágica pode causar uma dor torácica retro-esternal (por trás do esterno). Hoje, a maioria dos casos de ruptura do esôfago são causados ​​por trauma da instrumentação médica.

A ruptura do esôfago permanece uma condição profundamente grave, e se não for diagnosticada e tratada prontamente, a mortalidade é alta.

15. Transtornos da Motilidade Esofágica Primária

O transporte eficiente de alimentos pelo esôfago, da boca ao estômago, requer um padrão de motilidade coordenada e sequencial que propulsiona o alimento e limpa o refluxo ácido e biliar. A interrupção desse processo altamente integrado, comumente denominado distúrbios da mobilidade esofágica, pode causar desconforto na deglutição (disfagia) e dor no peito (19).

O diagnóstico de Motilidade esofágica primária pode ser complicado. Antes de pensar o diagnóstico de um distúrbio de motilidade, devem ser excluídas outras causas de disfagia (por exemplo, cancro esofágico, esofagite).

Quer aprender mais? Veja as outras partes desse artigo.

Quer quer eu explore mais algum desses assuntos? Deixe o seu comentário e faça a sua pergunta! Esse artigo foi dividido em quatro partes para facilitar a sua leitura:

References   [ + ]

Author: Dr. Leonardo Alves

Médico, Cardiologista que entende que a internet pode e deve ser uma fonte inesgotável de informações para os pacientes.
CRMMG: 33.669 – Trabalha na Clínica Cardiovasc, em Teófilo Otoni, MG

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This

Compartilhe!

Compartilhe esse artigo com amigos!