O tratamento das Extra-Sístoles e Palpitações é complexo! Pois nós, médicos, não tratamos alterações em um Holter ou Eletro – Nós tratamos pacientes / indivíduos e pessoas são complexas e cheias de peculiaridades. Se precisa ler esse artigo para conhecer um Guia-Padrão do tratamento das Pessoas com Extra-Sístoles. Confira!

[membership level=”0″]Quer ler mais? Clique Aqui! e acesse o Melhor Conteúdo Exclusivo! [/membership]
[membership level=”0″] Olá, Aqui é o Dr. Leonardo Alves. Estamos felizes com seu interesse em nossos artigos. Quer ler mais? Clique Aqui! Escolha uma das opções de Membros e Aproveite os esse artigo! Temos muito interesse em solucionar suas dúvidas. [/membership]

 

Nos artigos anteriores nós discutimos quando devemos tratar uma Extra-Sístole e quando devemos tratar uma Palpitação.

Depois que o médico faz uma avaliação cuidadosa e criteriosa da causa da arritmia e que recebe a ajuda do paciente na investigação dos seus sintomas, concluímos que as Extra-sístoles devem ser tratadas quando são acompanhadas de Doenças Estruturais Cardíacas e as Palpitações devem sempre receber um Tratamento.

 

As Regras Gerais: Como Tratar Extra-sístoles?

Seja para aliviar sintomas, reduzir o risco de morte súbita, evitar complicações das arritmias ou, ainda, melhorar a vida do paciente, as Extra-sístoles precisam ser abordadas de forma individual pelos médicos, com cada paciente recebendo a orientação adequada e a melhor opção de tratamento.

Dentre as opções de tratamento, destacamos os medicamentos anti-arrítmicos, o tratamento cirúrgico, via Ablação por cateter e o Cardioversor-Desfibrilador-Implantável (o CDI) – cada um deles indicado em determinadas situações.

 

Quais Medicamentos podem ser usados?

  • Beta-Bloqueadores: Efetivos para reduzir Extra-Sístoles e Morte súbita.
  • Amiodarona: muitos estudos mostram benefícios com o seu uso.
  • Sotalol: efetivo, mas há efeitos pró-arrítmicos mais pronunciados.

 

Arritmias em Corações Estruturalmente Normais:

Existem diversos medicamentos que são úteis para tratar Extra-Sístoles e Palpitações, cada um com seus benefícios e efeitos colaterais.

  • Extra-Sístoles monomórficas e Polimórficas.
  • Taquicardia Ventricular Idiopática (sem causa).
  • Distúrbios eletrolíticos (sódio, cloro, potássio).
  • Agentes tóxicos e Agentes Físicos.
  • Fumo e Tabagismo.
  • Lípides (Gorduras).

 

Arritmias em Corações Doentes:

Nesses casos, cada uma das situações merecem uma atenção especial e detalhada. Nesse artigo, iremos nos deter em listar as patologias que merecem atenção especial com links para posts mais específicos:

#1 – Arritmias Associadas às Cardiomiopatias (Doenças do músculo cardíaco)

  • Miocardiopatia Dilatada Não Isquêmica.
  • Miocardiopatia Hipertrófica.
  • Miocardiopatia/Displasia Arritmogênica do Ventrículo Direito;
  • Desordens Neuromusculares.

#2 – Insuficiência cardíaca.

#3 – Arritmias Genéticas.

#4 – Arritmias e Morte súbita relacionada a doenças específicas:

  • Insuficiência cardíaca causada por Infarto do Miocárdio.
  • Doença nas Válvulas cardíacas.
  • Doença cardíaca congênita.
  • Miocardites
  • Doenças do pericárdio.
  • Hipertensão pulmonar.
  • Arritmias cardíacas de causas reversíveis.

#5 – Arritmias em Síndromes Genéticas

  • Síndrome do QT longo.
  • Síndrome do QT curto e Síndrome de Brugada.
  • Taquicardia Ventricular Polimórfica por Adrenalina.

#6 – Arritmias em Síndromes Genéticas

 

Arritmias Cardíacas Relacionadas a Populações especiais:

  • Em Atletas.
  • Em Idosos.
  • Na Gestação.
  • Em pacientes pediátricos.
  • Em pacientes com CDI.
  • Intoxicação digitálica.
  • Overdose de Antidepressivos.
  • Arritmias induzidas por drogas.
  • Drogas que induzem síndrome do QT longo.

 

São muitas, não é mesmo?

Irei colocar um Link para cada uma delas nesse artigo, à medida que forem feitos comentários abaixo e produziremos artigos específicos para cada um delas.

Não se esqueça de deixar seu comentário. Obrigado.

 

Share This

Compartilhe!

Compartilhe esse artigo com amigos!