Miocardiopatia – As doenças do Músculo do Coração!

A Miocardiopatia ou Cardiomiopatia refere-se às doenças específicas do músculo cardíaco. Essas doenças têm muitas causas, sinais e sintomas e também tratamentos específicos. O músculo cardíaco torna-se aumentado, grosso/espesso ou rígido e, em casos raros, o tecido muscular é substituído por tecido cicatricial necrosado.

O quê é uma Miocardiopatia?

A miocardiopatia refere-se a doenças do músculo cardíaco. Saiba mais sobre as muitas causas, sinais e sintomas e tratamentos. 1)Heart.org

Miocardiopatia

Miocardiopatia

Sinônimos de Miocardiopatia?

A miocardiopatia também é chamada de:

  • Cardiomiopatias
  • Doenças do Miocárdio.

Leia sobre as Miocardiopatias:

  • Todas as Miocardiopatias / Cardiomiopatias
  • Cardiomiopatia Dilatada: Quer entender a Miocardiopatia Dilatada? Suas Causas, Sintomas e Tratamento? Neste artigo, vamos tentar dar todas as informações possíveis sobre a Cardiomiopatia dilatada! Tire suas dúvidas!
  • Cardiomiopatia Hipertrófica: A Miocardiopatia Restritiva é uma doenças relativamente rara, mas que exige um tratamento intenso dos cardiologistas além de uma grande dedicação do paciente. Leia um Manual Completo sobre a Cardiomiopatia restritiva!
  • Cardiomiopatia Restritiva: A Miocardiopatia Restritiva é uma doenças relativamente rara, mas que exige um tratamento intenso dos cardiologistas além de uma grande dedicação do paciente. Leia um Manual Completo sobre a Cardiomiopatia restritiva!

Como a Cardiomiopatia evolui?

À medida que a condição piora, o coração fica mais fraco e menos capaz de bombear sangue através do corpo e manter um ritmo elétrico normal. O resultado pode ser insuficiência cardíaca ou batimentos cardíacos irregulares, chamados de arritmias.

Um coração enfraquecido também pode causar outras complicações, como problemas de válvula cardíaca.

Quais os tipos de Cardiomiopatia?

Os principais tipos de miocardiopatia são:

Cardiomiopatia dilatada

A cardiomiopatia dilatada (MCD) é quando a capacidade do coração de bombear sangue diminui porque a sua principal câmara de bombeamento, o ventrículo esquerdo, está aumentada, ampliada e enfraquecida. Em alguns casos, isso impede que o coração se encha com sangue como deveria. Ao longo do tempo, pode afetar as outras câmaras, como o átrio esquerdo, átrio direito e ventrículo direito.

Miocardiopatia Dilatada: Sintomas, Tratamento!

Cardiomiopatia hipertrófica

A miocardiopatia hipertrófica (MCH) está associada ao espessamento do músculo cardíaco, mais comumente no septo entre os ventrículos, abaixo da valva aórtica. Isso leva ao endurecimento e enrijecimento das paredes do coração e à anormalidades na função da válvula mitral, que podem impedir e prejudicar muito o fluxo sanguíneo normal do coração. 2)WebMD

Miocardiopatia Hipertrófica: Causas, Sintomas, Tratamento, Tudo!

Cardiomiopatia restritiva

A cardiomiopatia restritiva é quando as paredes das câmaras inferiores do seu coração (chamados de ventrículos) são muito rígidas para expandir à medida que se enchem de sangue.

A capacidade de bombeamento dos ventrículos pode ser normal, mas é mais difícil para os ventrículos obter sangue suficiente. Com o tempo, o coração não pode bombear corretamente. Isso leva à insuficiência cardíaca.

Miocardiopatia Restritiva: Um Manual Completo!

Displasia ventricular direita arritmogênica

Cardiomiopatia não-classificada:

Síndrome do coração partido.

Alguns outros tipos de cardiomiopatia são chamados de “cardiomiopatia não-classificada”. Outro tipo conhecido é a “cardiomiopatia induzida pelo estresse”, também conhecida como síndrome do coração partido.

Como surge a Miocardiopatia?

Há duas formas principais de se adquirir uma cardiomiopatia:

  • A cardiomiopatia pode ser “adquirida”: o que significa que ela se desenvolve por causa de outra doença, condição ou fator, ou
  • A cardiomiopatia “herdada” ou Hereditária: o que significa que o gene da doença foi transmitido de um pai.
  • A Miocardiopatia de causa indeterminada: onde não é encontrada nenhuma causa.

A cardiomiopatia pode afetar todas as idades, embora certos grupos etários tenham maior probabilidade de ter certos tipos de cardiomiopatia.

Visão Geral
A cardiomiopatia pode não ter sinais ou sintomas e não precisar de tratamento.

Mas outros casos de cardiomiopatia, a doença se desenvolve rapidamente com sintomas graves e ocorrem complicações graves.

Os tratamentos incluem mudanças de estilo de vida, medicamentos, cirurgia, dispositivos implantados para corrigir arritmias e outros procedimentos não cirúrgicos. Esses tratamentos podem controlar sintomas, reduzir complicações e evitar que a doença se agrave.

O que causa cardiomiopatia?

Muitas vezes, a causa da cardiomiopatia não é conhecida, como é frequentemente o caso quando a doença ocorre em crianças.

A cardiomiopatia pode ser adquirida por outra doença ou condição. Se a cardiomiopatia é herdada, um gene foi passado de um pai, algo que os pesquisadores continuam a estudar na tentativa de entender o problema.

Sinais e Sintomas da cardiomiopatia ou Miocardiopatia?

Algumas pessoas que têm cardiomiopatia nunca têm sinais ou sintomas. Outros já têm sinais ou sintomas precocemente, nos estágios iniciais da doença.

Cardiomiopatia em Crianças

A cardiomiopatia é relativamente rara em crianças, mas com as informações adequadas, você e seu filho terão menos medo desse diagnóstico à medida que continua e mantém o tratamento com o médico do seu filho.

Entendendo o Risco de cardiomiopatia!

Pessoas de todas as idades e raças podem ter cardiomiopatia. No entanto, certos tipos de doenças são mais comuns em certos grupos e certas idades.

Prevenção e Tratamento da cardiomiopatia.

Pessoas que têm cardiomiopatia, mas nenhum sinal ou sintomas podem não precisar de tratamento. Para outros que mostram sinais e sintomas, o tratamento é necessário e mandatório.
Também nesta seção:

  • Compreenda seu risco de cardiomiopatia
  • Sintomas e diagnóstico de cardiomiopatia
  • Prevenção e tratamento da cardiomiopatia
  • Cardiomiopatia em crianças

Saber mais:

  • História da família e doença cardíaca e acidente vascular cerebral
  • Compreenda seu risco de insuficiência cardíaca

References   [ + ]

1. Heart.org
2. WebMD

Author: Dr. Leonardo Alves

Médico, Cardiologista que entende que a internet pode e deve ser uma fonte inesgotável de informações para os pacientes. CRMMG: 33.669 - Trabalha na Clínica Cardiovasc, em Teófilo Otoni, MG

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This

Compartilhe!

Compartilhe esse artigo com amigos!