Tive infarto! Posso infartar novamente?

Os pacientes que sofrem um infarto do coração costumam ficar bastante assustados e com medo de infartar novamente. Alguns deles ficam bastante preocupados e outros entram em depressão achando que “morreram para a vida”. E então? O quê uma pessoa que teve um infarto pode fazer para melhorar a sua saúde e voltar a ter uma vida normal? Aliás, o quê é ter uma vida normal após ter infartado?

Só quem teve um infarto ou uma angina é que sabe como esta doença é grave e perigosa. Ninguém quer passar novamente pela mesma situação. Mas a pessoa pode ter uma vida praticamente normal após ter tido um infarto.

Quando voltar às atividades físicas?

Médico-Cuidado-palpitaçãoEsta resposta depende muito… depende principalmente da opinião do seu médico. Tudo dependerá das consequências que o infarto causou no seu coração. Mas, independente da lesão provocada, você precisará retornar às suas atividades físicas, iniciando pela caminhada e aumentando a intensidade com o passar do tempo e na dependência da ausência de sintomas.

 

O seu médico, provavelmente, lhe orientará sobre isso e pedirá para você exames que ajudarão a medir o nível de esforço que você poderá fazer. Alguns colegas médicos solicitam o teste ergométrico de controle pós infarto para medir o nível de esforço em que você deve chegar durante as suas atividades físicas.

 

Vida normal após o infarto:

Qualquer pessoa que teve um infarto pode infartar novamente, isso é importante frisar. Entretanto, um paciente que teve um infarto pode praticamente eliminar/reduzir a chance de ter um infarto novamente desde que inicie uma vida normal… Eu disse VIDA NORMAL.

Vida normal, na definição de um cardiologista e de todos que pensam na saúde do paciente é: ATIVIDADE FÍSICA REGULAR + ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL + CONTROLE DOS FATORES DE RISCO PARA O INFARTO + ELIMINAÇÃO DO ESTRESSE.

 

Certa vez falei com o paciente para voltar a ter vida normal, ele agradeceu, virou para a esposa e disse: “Tá vendo o que o médico disse? Já estou liberado para voltar ao meu churrasquinho.” (rs). Portanto, vida normal é vida normal indicada pelo cardiologista e não a “vida normal” que o paciente tinha antes de infartar. Atenção.

 

Entendido?

Ainda com dúvidas? Pergunte!

Author: Dr. Leonardo Alves

Médico, Cardiologista que entende que a internet pode e deve ser uma fonte inesgotável de informações para os pacientes. CRMMG: 33.669 - Trabalha na Clínica Cardiovasc, em Teófilo Otoni, MG

Share This Post On

18 Comments

    • Muito bem colocado as palavras do Dr. Leonardo Alves, tenho 41 anos e a exato 1 ano tive um Infarto e realmente após ter infartado fiquei muito assustado e com medo de se repetir, mas temos é que procurar levar a vida normal dentro das indicações do médico e procurar esquecer o trauma, dentro de cada orientação médica fazer as a atividades físicas, ter uma alimentação saudável e uma vida um tanto longe do estresse. Segui à risca as orientações da minha médica e hoje levo uma vida normal.

      Post a Reply
  1. Dr. Meu marido sofreu um infarto em set/11 ele tem 41 anos e atualmente toma atrovastatina, enalapril, caverdilol (3 x ao dia) e espirolactona. Todos os médicos que ele passa e mostra os exames dizem que é um milagre ele estar vivo. Num ultimo exame que fez (estresse induzido) mostrou que o coração dele está abaixo de 40% do normal. Ele abusa na cerveja, churrascos, e vinho isso sem falar no estresse diário no trabalho. Ele corre risco de sofrer um novo infarto?? Eu receio que sim…. estou correta???

    Obrigada!

    Post a Reply
    • Olá, Daniele.
      A pessoa que sofre um infarto PRECISA MUDAR O SEU ESTILO DE VIDA.
      Continuar no mesmo modo ou no caminho que provocou o infarto… é bastante complicado…
      Folhas verdes, caminhadas, atividade física é uma caminho mais adequado.
      Redução de estresse, dentre outras.
      Milagres acontecem… mas não é bom ficar colocando à prova… Um milagre é uma oportunidade de mudança e uma ajuda com o objetivo de que o paciente mude seu estilo de vida – não é para abusar, entende?
      Fale com ele para seguir as orientações dos médicos e levar uma vida mais saudável…
      Leonardo.

      Post a Reply
  2. olá,me chamo simone tenho 43 anos eu enfartei o ano passado
    hoje tenho muito medo de enfarta na da lembro passei mal dorminho.gostaria de saber
    posso beber . pq vejo pessoas com a mesma doença que a minha e bebe
    meu medico falou que eu não posso.pq o pessoal bebe então . eu fumava muito por isso enfartei
    .graça adeus eu parei .desse mal não vou morrer

    Post a Reply
    • Seu médico é que poderá lhe dizer.
      Pequenas doses de álcool não são maléficas ao coração, mas só seu médico poderá liberar ou não.
      Abraços.

      Post a Reply
  3. Sofri um infarto fuminante na mesa de cateterismo coloquei 5 stends pos 1 mes sofri 2 infartos e coloquei mais 1 stends e uma arteria 100%entupida e por tds esses fatores meu coracao esta aberto com refluxos faz 5 meses desde o primeiro infarto estava com 43 snos desde esse dia nunca mais tive vida normal .nao ando nada pq cansa e pesa a perna braco. Dores diferenciadas no peito e de x enquando irradia pro braco esquerdo. Estao estudando a cirurgia aberta pra fecha o coracao . Qual e meu risco atual e cirurgico?

    Post a Reply
    • Cintia.
      Infarto fulminante é o infarto FATAL.
      Você passou por uma situação gravíssima, mas o bom é que está viva e tem uma vida longa pela frente.

      O seu risco cirúrgico precisa ser visto e avaliado pelo seu médico que lhe examinou.
      Ele ajustará as doses de medicações para você ficar bem.

      Abraços e melhoras.

      Post a Reply
  4. Dr sofri infarto a tres dias atras ,quando posso voltar ao trabalho? ja que meu cardiologista so mim deu sete dias para repouso.

    Post a Reply
    • Eudes,
      Normalmente, eu dou mais tempo de afastamento para um paciente que infarta…
      Veja com ele.. se estiver inseguro para voltar ao trabalho.
      Abraços.

      Post a Reply
  5. Prezado Dr. Leonardo,
    Parabéns pelas respostas. Há 05 dias tive um infarto sem supra.Coloquei tb 03 stents
    Em 2006 troquei um avalvula bicuspede por uma tricuspede, e em 2016 coloquei um stent pois estava com a arteria principal descedente com 90% entupida

    Gostaria de saber se meu estilo de vida foi o fator determinante, sou eletrico, metodico, tudo para mim era para anteontem, pavio curto, brigão, e sempre estressado e atrasado
    Agradeço sua opinião

    Obrigado
    Mario Tricanico

    Post a Reply
    • Sim, Mário.
      O estresse é um dos principais fatores de risco para doenças do coração…
      Veja muta gente como você se descreveu: acelerados DEMAIS… Tudo para ontem… e tal! É uma característica da pessoa que inicialmente parece boa, tudo perfeito, organizado e que os outros são lentos…

      Mas.. Mas.. Mas.. Pessoas assim acabam sofrendo muito (por dentro).
      Além de corrigir os fatores de risco (colesterol, hipertensão, diabetes, sedentarismo e sobrepeso) – EVITE O ESTRESSE!
      Desligue a chave? Mude a sua “voltagem”, desacelere!
      Isso lhe fará um bem enorme.
      Sugiro você assistir esse filme: O filho da Noiva! https://g.co/kgs/l0Fgjj

      Post a Reply
  6. oi bom dia,minha esposa ja teve duas crises,,veio com dores nos bracos,dormencias nas maos,dor de cabeca,dores nos ombros,suor frio,,e chorava,os olhos se fechavam,,ai deitei ela no sofa,,pedi ela pra puchar arespiracao pelo nariz profunda e soltar pela boca,,,,chamei um farmaceutico daqui ,pois aqui nao tem medico,,ele disse que e crise de ansiedade,passou um remedinho ela acalmou,dormiu por um tempo e acordou bem melhor,,,obs;;;ja ocorreu duas vezes,,,,gostaria da opiniao do senhor….

    Post a Reply
  7. obs;;ela tem pressao alta,mas nunca fumou,nem bebeu,,nao e obesa,,,so e muito estressada,,nervosa,etc….ja foi na cardiologista,,o eletro tava tudo bem,,a doutora pediu um eco cardiograma,,,ela fez mostrou a doutora,apresentou que uma parte do coracao dela se encontra sem movimento,,,pediu um cateterismo,,nesse nao constou problema algum,,,ai depois disso que ela teve essas crises de ansiedades que mencionei anteriormente…..

    Post a Reply
  8. Prezado Dr.Leonardo,
    No dia 03 de agosto de 2017, vim a sofrer um infarto agudo do miocárdio.
    Eu estava na malhando na academia quando senti um ardor no peito e um suor frio. De pronto, parei, peguei as minhas coisas e pedi pra minha esposa me levar de imediato para o hospital; ao chegar, fui medicado com aspirina para mastigar e outros medicamentos que não sei quais foram. fiquei em torno de umas 2 horas por lá e depois me removeram para um hospital com homodinâmica, onde fiz uma angioplastia e colocação de um stent.
    Após dois dias de UTI e dois dias de quarto normal, fui visitado por uma cardiologista que me informou que graças a Deus eu não tinha sequelas por conta do curto tempo do atendimento, vindo a me receitar por dia: uma aspirina, um clopidogrel e um selozok (todos após o almoço) e um rosucor (a noite). Me informou ainda, que após algum tempo ficarei apenas com a aspirina e talvez o rosucor. A próxima visita a Cardiologista será no próximo dia 29.
    A minha dúvida é quanto ao fato dela ter dito de não existir sequelas sem ao menos um exame.
    Desde já, agradeço a atenção e um grande abraço !

    Post a Reply
    • Carlos.
      – não tinha sequelas por conta do curto tempo do atendimento.
      O Cateterismo e a Angioplastia viram que não teve sequelas…
      Mas será confirmado / reavaliado com o Ecocardigorama…

      PARABÉNS! por ter recebido tratamento TÃO rápido. Nesses casos, não há sequelas.
      Abraços.

      Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This

Compartilhe!

Compartilhe esse artigo com amigos!